De €500: Liberdade vs neoLiberalismo. a 26 de Fevereiro de 2016 às 09:46
----Mercado puro:
. Notas de €500
(-por Filipe Garcia, economista da IMF, www.readMetro.com, 26/2/2016)

O BCE poderá retirar de circulação as notas de 500€, (as mais altas) justificando-se com a convicção de que são maioritariamente usadas com fins criminais. (? corrupção, fuga a impostos, tráfico de droga, de armas, ... ?).
É discutível que o BCE deva ter essa preocupação e não é difícil supor que muitas das notas de €500 sirvam como reserva de valor e não com fins ilícitos, dada a crescente desconfiança nos bancos e as taxas de juro perto de zero.
(...e entre ser assaltado regularmente por via bancária-fiscal ou ocasionalmente por via de assalto à própria casa/colchão ... venha o diabo e escolha!!)
Ao retirar as notas de €500, dificulta-se o entesouramento (privado/individual) e aumenta-se a desconfiança no papel-moeda (e aumentam os lucros dos bancos). O cancelamento de dinheiro é prática frequente na Europa e uma debilidade do actual sistema monetário.
Abusando dos direitos de senhoriagem e ávido de impostos, o Estado (os estados, a U.E., o BCE, e os lóbis da alta finança que o controla)
limita as liberdades aos cidadãos, empurrando-os para a moeda escritural e aumentando o escrutínio (o controlo sobre receitas/despesas, levantamentos/depósitos e eventuais fugas ao fisco ou movimentos ilícitos de actividades criminosas/ 'mercado paralelo').
No deve e haver entre os ilícitos e as liberdades, os Estados tendem a ser totalitários.
(por limitarem a "livre iniciativa", imporem regulação e cumprimento de regras para permitir a convivência pacífica entre cidadãos, defenderem o ambiente e o interesse comum !!)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres