11 comentários:
De +Ricos; pobres e classe média PIOR. a 22 de Maio de 2015 às 17:01
-----
http://corporacoes.blogspot.pt/ 22/5/2015, comentário anónimo:

" no pico da crise, entre 2009 e 2013, os 10% mais ricos viram o seu rendimento cair 8%,
enquanto o dos 10% mais pobres recuou 24%" .

Estes dados estatísticos até podem ser indicativos, mas em bom rigor não são válidos, pois o gap é muito superior.
Enquanto os 10% mais pobres não podem fugir às estatísticas oficiais (quebra de 24% no rendimento),
os 10% mais ricos apresentam quebra de 8% na sua riqueza,
mas tal é falso pois fogem completamente às estatísticas oficiais de mil e uma maneiras legais e profissionais.

E a classe média? quanto é que perdeu na riqueza?
foi muito mais de 24%!


De Privatizam, vai o 'pote', dívida dispara a 25 de Maio de 2015 às 11:12

Vai o pote, dispara a dívida

( http://corporacoes.blogspot.pt/ 24/5/2015, M. Abrantes)

----- Abutres sem tempo para preparar assalto às últimas jóias da coroa [ CGD , Águas de PT, ...]

• Luís Villalobos, Onde falharam as privatizações (http://www.publico.pt/economia/noticia/onde-falharam-as-privatizacoes-1696623?page=-1 ) :

«(…) Outro aspecto importante das reprivatizações prendia-se com a redução do peso da dívida pública na economia. Uma intenção com algum mérito, mas que falhou redondamente.
Durante estes anos, a venda de empresas que estavam nas mãos do Estado rendeu cerca de 35 mil milhões de euros (tendo por base um valor referido por Ana Suspiro no livro Portugal à venda).

Quanto à dívida pública, está agora na casa dos 220 mil milhões de euros (130% do PIB).
Historicamente, a descida da dívida pública esteve associada aos pagamentos decorrentes das reprivatizações e não do controlo das despesas.
Assim, rapidamente voltou a subir e o resultado do encaixe com a venda de empresas foi o mesmo que
atirar copos de águas para um fogo alimentado por gasolina (fenómeno que continuou a verificar-se com o actual Governo).

(…)
Caso a privatização da TAP seja finalizada, pouco resta ao Estado para vender.
Com os falhanços que se verificaram no processo das reprivatizações, espera-se que o futuro seja diferente para grupos como a Águas de Portugal e a Caixa Geral de Depósitos.»

----
---Há uma parte do artigo que não está no post e que é importante para enquadrar temporalmente esta história das privatizações dos bens públicos em sectores estratégicos e geralmente monopólios naturais –
«Em 1990, Mário Soares e Cavaco Silva, enquanto Presidente da República e primeiro-ministro, respectivamente, assinaram a lei-quadro das privatizações»
- mas também não está no post a assunção do carácter NEOLIBERAL que levou a que o rol descrito de empresas estratégicas e monopolistas fossem privatizadas, e nestes 25 anos, pelo PS, PSD e CDS.
Alinharam todos pela bitola neoliberal com a esfarrapada DESCULPA que os PRIVADOS (a maioria estrangeiros) é que eram bons a gerir o interesse público (estado e cidadãos). Vê-se ! !!!!

Há também uma parte do futuro que é muito fácil de adivinhar e melhor que qualquer astrólogo:
o PS, o PSD e o CDS vão querer privatizar o que resta do sector empresarial e da área social do Estado,
recorrendo às mais diversas formas e ENRIQUECENDO brutalmente uma MINORIA de catrogas, vitorinos, amados, mexias, loureiros, cadornas, varas, ...
à conta dos bens de todos, com a maioria dos cidadãos sempre a perder.

-(maio 24),


Comentar post