De Mudar de Regras ou de 'União'. a 1 de Junho de 2015 às 11:51

Grécia mais perto de aderir ao banco dos BRICS

(infogrecia, 30 Maio, 2015 ; governo,
gasoduto, brics, rússia, lafazanis )

O ministro da Energia grego foi a Moscovo discutir os trâmites da candidatura grega e o apoio da Rússia à entrada no banco dos BRICS.
A construção do gasoduto para abastecer a Europa através da Grécia foi outro dos pontos da agenda.

“No meu encontro com o vice-ministro das Finanças Sergey Storchak, assegurámos o apoio decisivo à candidatura da Grécia para participar no novo banco de desenvolvimento dos BRICS.
A participação será simbólica e em prestações e mal comece funcionar poderemos aceder a apoio financeiro”, explicou Panagiotis Lafazanis na sexta-feira à imprensa.

Na agenda do encontro também estiveram os apoios russos para a construção do gasoduto a partir da fronteira da Turquia, que permitirá abastecer a Europa do gás russo que atualmente passa pela Ucrânia.
“O pagamento do empréstimo russo será feito com os lucros da operação do gasoduto e é um dispositivo que não está relacionado com empréstimos ou assistência económica entre Estados”, acrescentou Lafazanis.

Em declarações à agência governamental Sputnik, Lafazanis lamentou a oposição que os Estados Unidos exprimiram oficialmente sobre a construção deste gasoduto e defendeu que será muito positivo para a Europa e para a segurança energética a existência de uma nova rota de abastecimento.

Nos cálculos de Moscovo e Atenas, a construção do gasoduto na Grécia vai custar cerca de dois mil milhões de euros e criar vinte mil postos de trabalho na Grécia.
Alexis Tsipras e Lafazanis vão participar em junho no Fórum Económico Internacional de São Petersburgo, onde as conversações sobre o projeto do gasoduto e o acordo do seu financiamento poderão ter desenvolvimentos.

-----------JCPCoelho:

O que os alemães e a europa nega aos gregos a Rússia concede-lhes,
para que hão-de os gregos estarem a esfalfar-se a pedinchar uma tranche,
ainda vamos ver a europa a pedir mas é aos gregos para não aderirem ao banco dos BRICS...
e esta do gasoduto é uma arma estupenda que os helénico não vão deixar passar,
cuida-te europa das humilhações aos povos do sul!

-----------
« 300 € chega para viver na Grécia» , disse o enviado do FMI aos patrões do comércio

A comissão de inquérito aos memorandos da troika ouviu o ex-líder dos patrões do comércio fazer um relato impressionante de uma reunião com o enviado do FMI.

Vassilis Korkidis liderava os patrões do comércio quando o governo assinou os memorandos com a troika. Hoje revelou aos deputados um episódio ocorrido num encontro com Poul Thomsen, representante do FMI e Klaus Mazouch, do Banco Central Europeu, em dezembro de 2011.

Nesse encontro na sede da Confederação Nacional do Comércio, ouviram a exigência dos homens da troika para um corte no salário dos trabalhadores gregos. Korkidis diz ter defendido que o país tinha pouca margem para cortar salários, fazendo uma comparação dos salários de então com os praticados noutros países europeus, para mostrar que já eram dos mais baixos.

A resposta de Poul Thomsen deixou-o perplexo: “– Você está enganado, tem de comparar é com os salários dos países do sudeste europeu e dos Balcãs, que é onde pertencem”. Prossegue Korkidis: “E quando lhe perguntei a opinião sobre quanto deveria ser o salário, respondeu-me: ‘– 300 euros chega para viver na Grécia’. Aí tive de lhe perguntar quanto é que ele ganhava…”, relatou o ex-lider do patronato do comércio aos deputados da comissão.

Vassilis Korkidis reconheceu que “foram cometidos erros trágicos” na negociação e aplicação do memorando. Mas embora critique os políticos no poder por “terem ido a correr assinar o memorando”, disse não acreditar “que algum político queira fazer mal ao seu país”.

A comissão de inquérito aos memorandos da troika tem por objetivo apurar as circunstâncias e as responsabilidades sobre a forma como foi ditada ao anterior governo uma política que arrasou a economia e a sociedade grega desde o início da década.
-----

Estes VAMPIROS fazem tudo para manterem os privilégios e modos de vida que levam, e sugerem que 300€ chegam para viver... .
Por causa da nossa desunião e inércia é q. eles nos DESGOVERNAM e sobre EXPLORAM.


De Devíamos 'torcer' pela Grécia a 3 de Junho de 2015 às 16:26
Os gregos são os nossos vizinhos


«É provável que haja um acordo qualquer de última hora que impeça a Grécia de falir nos próximos dias. É evidente que as coisas nunca acabarão em bem (o voto do povo grego é incompatível com a linha dura da zona euro), mas podem acabar em mais ou menos. (...)

Talvez Tsipras tenha sido eleito com um mandato impossível:
acabar com a austeridade numa Europa em que a austeridade foi sufragada pela maioria dos que se sentam nos conselhos europeus, e não apenas por Merkel.
Mas a derrota de Tsipras provará que não há caminhos alternativos fora da “linha justa” da Europa que expulsou a social-democracia enquanto ideologia de governo.

Uma ruptura da Grécia com a Europa – um cenário com consequências imprevisíveis – daria, à partida, razão ao governo português, que aproveitou estes anos para provar que “era bom aluno”.
Seria a vitória do TINA (There is No Alternatives, como a ideologia vigente na Europa ficou conhecida)
e um soco no PS, que promete genericamente que um novo governo socialista faria um corte com a política de austeridade, por muito que Costa se tenha empenhado em se afastar do Syriza nos tempos recentes.
Mas, independentemente de qual dos discursos seria mais favorecido no worst case scenario, na realidade a fragilidade de Portugal deixaria o país acorrentado à derrota grega.
Se se abrir a caixa de Pandora, é provável que os juros da dívida de Portugal disparem como no auge da crise do euro.
Portugal devia estar a torcer pela Grécia – infelizmente não está.
O PSD percebe-se porquê, o PS entende-se mais dificilmente.»

Ana Sá Lopes (via http://entreasbrumasdamemoria.blogspot.pt/, 3/6/2015)
----------
Acrescente-se que a eventual saída da Grécia será o início da queda do 'castelo de cartas', dando força aos eurocépticos que querem a saída do RU/Inglaterra
(ou a troca desta ameaça por mais privilégios para os Ingleses e em especial para o seu sistema financeiro geminado com a máfia da City/offshores/ oligarcas, ... - que dominam o neoliberal governo do RU mas tb da UE etc), ...


De UE e ...: Neoliberal+ ultras+ hidraFinan a 3 de Junho de 2015 às 16:47
--------A Goldman Sachs ilumina o caminho

(-por jose guinote, 2/6/2015, http://viasfacto.blogspot.pt/ )

As condições para a rendição do governo Grego lavradas pelos apóstolos da Goldman Sachs, essa santa casa do neoconservadorismo global.

"Not only is it possible that we may need to see sovereign technical default and/or blocked Greek bank deposits in order to come to an accommodation between Greece and its official creditors, it may be necessary to do so in order to break the current impasse in negotiations." (aqui)
http://www.theguardian.com/business/live/2015/jun/01/greece-crunch-month-bailout-creditors-manufacturing-pmi-live#block-556c5ab3e4b095e09a51bce4
----

Greece's creditors urge more intensity after mini-summit - live updates


Angela Merkel, Francois Hollande, Mario Draghi, Christine Lagarde and Jean-Claude Juncker have discussed the Greek crisis in Berlin
Latest: Intensive work needed, says spokesman
Merkel looking to defuse the crisis
Introduction: Unexpected meeting in Berlin tonight
Die Welt: Greece might compromise on pensions

Lunchtime Summary: Goldman fears default

-----------------


Uma nova Hungria? (regime ditatorial, neoliberal de extrema direita) para o R.U. e maioria dos países da UE.?!!

(por Miguel Madeira, 1/6/2015)


- David Cameron backs plans for Ofcom to block 'extremist messages' on TV

- "Significant changes to strike law"

- Election results were barely in when the home secretary indicated the Tories will increase state surveillance powers

- Michael Gove to proceed with Tories' plans to scrap human rights act


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres