De Piorar serviço para depois cobrar + !! a 19 de Janeiro de 2015 às 15:44

Taxas e taxinhas
(por CRG,365forte, 13/1/2015)

Segundo a "New Yorker" na última década a principal fonte de receita das companhias áreas americanas é a cobrança de taxas
(ex: bagagem no porão, assentos mais cómodos, wi-fi, embarque mais rápido...),
tendo aumentado 1200% desde 2007.

No entanto, para que as taxas funcionem, continua a reportagem, é necessário que os passageiros considerem essenciais as contrapartidas, isto é,
que o serviço básico sem as taxas fique degradado o suficiente para que os clientes sintam a necessidade de pagar o serviço extra.

Deste modo, as companhias áreas tem um forte incentivo para tornar o serviço básico quase intolerável
- actualmente os lugares mais largos na classe económica nas principais companhias áreas americanas são mais estreitos do que os piores lugares nos anos 90.

Interrogo-me se este incentivo não existe também nos serviços públicos;
se a degradação dos mesmos abaixo do aceitável não será uma forma de empurrar os utentes para o pagamento de taxa "premium" no privado,
quer esta seja na saúde, educação, complementos de reforma ou mesmo na justiça.

------- Neoliberal intenção e prática:
Degradar as empresas e serviços públicos para o privatizar a seguir (vender por tuta e meia, aos amigos e obter chorudas comissões e/ou tachos!)
e aumentar preços. !!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres