8 comentários:
De Podem Falhar, mas RESISTIRAM ! a 7 de Julho de 2015 às 11:06
3.7.2015
19:17 (JPP)
Partes da Intervenção de José Pacheco Pereira na Sessão de Solidariedade com a Grécia
...
...
...
Mas o meu voto manda cada vez menos. Como para os revolucionários americanos, também no meu país, há “taxation without representation”.
Também no meu país há colaboração, submissão, diktats,
Também no meu país, a realidade é feita de mentiras.

É por isso que o destino dos gregos não me é indiferente, bem pelo contrário.

Não quero saber se o governo grego está a fazer tudo bem ou não. Não quero saber se Varufakis é arrogante ou não.
Nem, verdadeiramente, o meu julgamento sobre os gregos está dependente de eles terem sucesso ou não.

O que eu sei é que houve um governo na União Europeia que RESISTIU a cortar mais salários e pensões a quem já tinha visto salários e pensões cortadas.

Podem falhar, mas resistiram.

O que eu sei é que houve um governo que quis DEFENDER o seu país de ser controlado por estrangeiros e por uma burocracia TRANSNACIONAL de tecnocratas pedantes que detestam a democracia e “esnobam” dos políticos. Os "adultos" que estão na sala.

Podem falhar, mas resistiram.

O que eu sei é que houve um governo que quis ser FIEL às suas PROMESSAS eleitorais e que não quis ser uma versão grega do Senhor Hollande, nem dos 'socialistas' que acham que são membros suplentes do PPE. (partido popular europeu, de direita e centro direita, do PSD)

Podem falhar, mas resistiram.

Não sei se isto é de esquerda ou de direita, sei que isto é ser um bom grego. E isso é um EXEMPLO que nós queremos seguir, para sermos bons portugueses, que gostam do seu país e do seu povo.

Perante uma realidade iníqua há um valor moral em tentar criar outra realidade que não comece por p..

Se há coisa que a história mostra é que vale a pena.


De Portugal tb a Referendo a 7 de Julho de 2015 às 15:37
--------
(DesGovernante Fantoche, pró-NAZI-Fascista, Situacionista, Colaboracionista, traidor, assassino, ...)

Pétain também está ligado ao colaboracionista Laval e aos esquadrões «Maquis».
-
------
As reescritas miseráveis da História não podem passar impunes, Porque atrás delas é a própria História que querem mudar.

Com a colaboração activa dos petains da actualidade,
sejam mais ou menos canalhas ou mais ou menos fascistoides
----

texto miserável:
"Petain estava tão certo quanto de Gaule:
a um competia-lhe não ser suicidário,
ao outro aliar-se a quem pudesse reverter a situação.
E para ambos a causa era a sobrevivência da França."

O elogio a Pétain ultrapassa o limite da decência. Por detrás disto é a face da barbárie que aparece.

Quase sempre de máscara.
Mas por vezes de forma horrenda e crua

----xxxxxxxxx-----

Referendo em Portugal será em Setembro 2015
...
... O actual governo PSD/CDS-PP já demonstrou que governo quer ser:
o menino bem comportado, que até vai além do exigido pelo professor, que levanta a mão antes de ir à casa de banho.
Comportamentos aceitáveis por um pupilo, mas não entre Estados soberanos e independentes.

O PS também já demonstrou que postura terá no Governo, pelas votações que tem feito relativamente à proposta de renegociação da dívida,
elemento fundamental para garantir desenvolvimento a curto prazo em Portugal e evitar ainda mais degradação das funções sociais do Estado.

Aliás a Troika nacional (PS, PSD, CDS-PP) tem sido clara na sua visão sobre a soberania nacional ao convergirem na sua aprovação, promoção e cumprimento dos múltiplos tratados e acordos da UE,
incluindo na sua recusa de sujeitar ao escrutínio popular quaisquer decisões supra-nacionais que têm vindo a destroçar a independência de Portugal.

Recordem-se apenas o mais recentes:
- o Tratado de Lisboa e os decorrentes pacotes legislativos da Governação Económica (Six Pack e Two Pack)

- Tratado sobre a Estabilidade, Coordenação e Governação na União Económica e Monetária – também conhecido como Tratado Orçamental;

- o «Semestre Europeu»;
- a «União Bancária»;

- o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (o TTIP: «Transatlantic Trade and Investment Partnership»)

Tal é o colete de forças em que a troika nacional nos meteu, que pouco podem os seus partidos diferir nas suas propostas legislativas.
Cavalo ou jumento, produzem muita merda e a de ambos cheira mal.
Na campanha que se avizinha há que direccionar o debate político sobre fundamentos, e não nos deixarmos distrair com questões ilusórias, promessas que não tencionam ser cumpridas.
É o futuro do país que está em jogo.


Comentar post