De DesGovernantes Gozam com os cidadãos ... a 29 de Outubro de 2015 às 09:34
Ainda gozam com os cidadãos [I a ...]
(por josé simões, http://derterrorist.blogs.sapo.pt/ )

--
Ministério das Finanças

Maria Luís Albuquerque, «não vamos falar em cortes de 600 milhões, nunca ninguém falou em cortes».
--
Ministério da Administração Interna
[com Ricardo Salgado]

João Calvão da Silva, "jurista de Coimbra" [meu Deus!] do "bom princípio geral de uma sociedade que quer ser uma comunidade – comum unidade –, com espírito de entreajuda e solidariedade".
--
Ministro da Justiça

Fernando Negrão, da demissão do cargo de director da Polícia Judiciária no quadro do processo Moderna [que chegou a envolver Paulo Portas] por suspeitas de violação do segredo de justiça.
De Setúbal para Lisboa, de Lisboa para o Parlamento, onde ainda ontem não foi eleito presidente porque os socialistas-comunistas-esquerdistas-anarquistas não respeitam a tradição.
Contra a democracia marchar, marchar.
--
Ministro da Saúde

Fernando Leal da Costa, o secretário de Estado do humor negro sobre as urgências hospitalares.
--
Ministério dos Negócios Estrangeiros

Rui Machete. o ministro dos pedidos de desculpas a Angola por Portugal ser um estado de Direito com separação de poderes.
--
Ministro da Modernização Administrativa

Rui Medeiros, o constitucionalista que atestava a constitucionalidade dos diplomas do Governo PSD/ CDS declarados inconstitucionais pelo Tribunal Constitucional.
--
Ministério da Igualdade e Cidadania

Teresa Morais, a secretária de Estado da Igualdade contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a lei de identidade de género.
--


-- Como a direita gosta de dizer, "a nossa imagem no exterior"

«Imprensa internacional arrasa discurso de Cavaco» -- http://www.rtp.pt/noticias/eleicoes-legislativas-2015/imprensa-internacional-arrasa-discurso-de-cavaco_n869114

O Supremo Irresponsável da Nação

Afinal não foi mais do que a segunda parte do discurso do ódio e da vingança na varanda do Centro Cultural de Belém na noite da vitória em 23 de Janeiro de 2011.

"Aquilo que havia a dizer sobre esse assunto já disse na intervenção que eu produzi que foi muito clara e não estou arrependido nem de uma única linha de tudo aquilo que eu disse"


--
Linhas vermelhas

Que os bancos sejam resgatados com o dinheiro dos contribuintes, tratamento de excepção em relação a outro qualquer negócio do mercado, ainda aceitam, é aceitável.

Inaceitável, linhas vermelhas é um Governo de esquerda que regule, escrutine, fiscalize e exija transparência à banca
de modo a evitar que o dinheiro dos contribuintes, que não chega para nada, nem para pensões, nem para a saúde, nem para a educação, chegue afinal para pagar resgates a bancos.

«Bancos aceitam governo de esquerda "desde que não seja hostil à banca privada"»

"aceitam". "desde que".

--
......... e ainda há muito mais disto e destes !!!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres