Quinta-feira, 22 de Outubro de 2015

 E vão quinze  candidatos a P. da R. P.

 
Palácio de Belém
       Percebe-se a inconveniência das taxas, taxinhas, despesas de condomínio, contas do gás, electricidade e água, Internet de banda larga com wifi, telefones vários - fixos e celulares - mais os vencimentos do mordomo e demais criadagem (incluindo os consultores, jardineiros e motoristas) e ainda o dinheirão que custa manter os toldos, as bandeiras e pavilhões em bom estado, mas a lista de candidatos a ocupar o casarão rosa de férias da realeza começa a ultrapassar os limites de inscrição.
      Se a coisa não pára, a Comissão Nacional de Eleições bem poderá começar a mandar alargar a ranhura das urnas e a encomendar, aos correios privados, as caixas que substituirão os envelopes dos votos por correspondência.
      Por ordem alfabética, aqui ficam os candidatos já apresentados, embora ainda nenhum tenha feito a escritura notarial de arrendamento gratuito do espaço, Pátio dos Bichos incluído:

António Sampaio da Nóvoa
Cândido Ferreira
Castanheira Barros
Edgar Silva
Graça Castanho
Henrique Neto
Jorge Sequeira
Manuela Gonzaga
Marcelo Rebelo de Sousa
Maria de Belém Roseira
Marisa Matias
Orlando Cruz
Paulo Borges
Paulo Freitas do Amaral
Paulo Morais

Deste(a)s todo(a)s, um(a) haverá que vai mandar substituir os reposteiros cor de caca com que o actual inquilino se faz enquadrar cada vez que acorda e convoca uma comunicação ao País.
    De todo(a)s este(a)s haverá um(a) que transformará o antigo picadeiro (e depois cocheira) numa gigante manjedoura que albergue governantes, ajudantes de governantes, altas individualidades e convidados, respectivos pajens e demais corte que entretanto ainda não foi nomeada para cargos e mordomias do Estado.
    ( LNT   #BarbeariaSrLuis   [0.278/2015])

 

 



Publicado por Xa2 às 07:45 | link do post | comentar

7 comentários:
De .PR decorativo e custoso. a 22 de Outubro de 2015 às 09:37

Cavaco é "inútil e traidor"

A deputada socialista Isabel Moreira publicou um texto no Facebook, através do qual classifica o Presidente da República com um role de atributos, no mínimo, pouco simpáticos. Para a constitucionalista, o chefe de Estado “é nada”.

POLÍTICA ISABEL MOREIRA - 23/10/13 por NOTÍCIAS AO MINUTO

“É este nada, zero, inútil, traidor, autocentrado, calculista, contraditório, que é formalmente, Presidente da República”. Assim pode ler-se num texto publicado ontem pela deputada do PS, Isabel Moreira, no Facebook.

http://pub.sapo.pt/lg.php?bannerid=183651&campaignid=112351&zoneid=2925&OACBLOCK=86400&OACCAP=1&loc=1&referer=http%3A%2F%2Fwww.noticiasaominuto.com%2Fpolitica%2F120661%2Fcavaco-e-inutil-e-traidor&cb=0f39b34969
A constitucionalista reagia desta forma às declarações de Cavaco Silva no passado fim-de-semana, que deram a entender que o chefe de Estado descarta a remissão do Orçamento do Estado para o Tribunal Constitucional para efeitos de fiscalização preventiva.

O chefe de Estado, recorde-se, afirmou que “os custos da não entrada em vigor” do diploma a 1 de Janeiro podem ser “muito, muito muito maiores” do que a certificação da constitucionalidade de determinadas normas.

Já em declarações ao jornal i, a parlamentar justificou as palavras que dirigiu ao Presidente da República à luz do facto de este estar “a trair o juramento que fez de defender a Constituição”.

“Quando o Presidente, sentado ao lado do primeiro-ministro, dá a entender que o Orçamento pode ter inconstitucionalidades mas vai promulgá-lo, o que está a dizer é: ‘Juro defender o Orçamento do Estado apesar das inconstitucionalidades”.

Como tal, conclui Isabel Moreira, Cavaco “é um Presidente decorativo”., Feio e Caro !!


De Marisa M.: uma por todos. a 10 de Novembro de 2015 às 11:39
Marisa: “Candidato-me em nome da esperança de um país novo e justo”

Marisa Matias apresentou, esta tarde, a sua candidatura à Presidência da República, e sublinhou a importância de uma mudança política em Belém, que não exclua nem se coloque ao serviço das minorias privilegiadas de sempre. Publicamos a declaração de Marisa na íntegra. #umaportodos, #marisa2016

7/11/2015
"Precisamos de uma Presidente de todos os portugueses e não de todos os mercados”

Foi no Teatro Thalia, em Lisboa, que Marisa Matias assumiu querer ser uma " Presidente da República tão política quanto a Constituição o é na sua opção política de fundo, que não é de modo algum neutra em relação às questões essenciais", candidatando-se em nome de uma forma diferente de fazer política.

“Uma Presidente que ajude a meter a austeridade na gaveta, mas que tire da gaveta a Constituição”, frisou Marisa Matias.

Num discurso onde fez duras críticas a um Presidente indiferente ao que estão a sofrer os reformados, os trabalhadores e os desempregados, ao que está a acontecer com o ensino público ou o serviço nacional de saúde, Marisa Matias disse que era preciso garantir que temos na Presidência da República alguém que não dê cobertura aos ataques contra o país e contra a democracia.

A eurodeputada disse ainda conhecer bem o processo de transformação da União Europeia, por ter confrontado os seus protagonistas e saber para onde nos querem levar, caminho esse que não irá seguir. "A alternativa que eu represento não está refém de qualquer cumplicidade com o mundo dos negócios duvidosos que têm destruído o país", destacou.

“Serei uma Presidente da República que não irá pactuar com a humilhação do país, porque isso é negar uma das competências mais fundamentais que é de ser o garante da independência nacional”, sublinhou Marisa Matias, salientando que “num mundo cheio de injustiça e de guerras, comigo ninguém duvida que Portugal estará sempre, sempre ao lado da justiça e da paz”.

Antes da intervenção de Marisa Matias, Tatiana Moura apresentou a candidata recordando os tempos de faculdade e de investigação, que fizeram em conjunto, e destacou o percurso de Marisa como eurodeputada. Tatiana Moura salientou ainda que “a mudança tem de passar urgentemente pela humanização da política” e afirmou: “A Marisa é a Presidente da República que Portugal merece”. Ricardo Moreira, diretor de campanha, apontou a importância de não “deixar fechar” a “porta de esperança" que foi aberta, realçando o significado do voto e a necessidade de que ele “volte a contar”.-----------------------------
Declaração de Marisa Matias

Candidata às Eleições Presidenciais de 2016
I.
Vivemos tempos exaltantes. São tempos de uma esperança muito refrescante. Esperança num país solidário, num país desenvolvido, num país soberano. Esperança num Portugal de que nos possamos orgulhar. Um país que trate bem as pessoas, os cidadãos e as cidadãs, os trabalhadores e as trabalhadoras, com respeito, com decência e com dignidade: numa palavra, que os trate como gente, gente que merece muito melhor do que o que tem tido.

A democracia está a passar por aqui. Ela chama por todos nós, e chamou também por mim. E aqui estou: serei candidata à presidência da República. O nosso lema – UMA POR TODOS – diz-nos da esperança de levarmos até Belém uma política que não exclua

Agora, a democracia está a passar por aqui. Ela chama por todos nós, e chamou também por mim. E aqui estou: serei candidata à presidência da República. O nosso lema – UMA POR TODOS – diz-nos da esperança de levarmos até Belém uma política que não exclua, uma política que não se coloque ao serviço das minorias privilegiadas de sempre.

A direita anda desesperada como nunca a tínhamos visto, os grandes interesses consideram-se em risco e, em conjunto têm um projecto: onde cresce a esperança, espalham o medo; onde se forma a união, semeiam a chantagem; onde há sinais de mudança, tentam manter o status quo.

Querem fazer das presidenciais uma segunda volta das legislativas, querem uma desforra, querem vingança.

Perdida a maioria absoluta no parlamento, pretendem, pelo menos, manter o poder em Belém para, a partir daí, bloquearem qualquer processo de transformação.
...
...
http://www.esquerda.net/artigo/marisa-candidato-me-em-nome-da-esperanca-de...


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS