3 comentários:
De BES/bangsters, Ana Gomes e comentadores a 9 de Julho de 2014 às 09:09
Comentário do Sr. Pedro Tavares

Solicito aos responsáveis dos canais televisivos que contratam os comentadores José Gomes Ferreira, Medina Carreira, Marcelo Rebelo de Sousa, Marques Mendes, e outros, que lhes exijam que comentem no seu habitual espaço televisivo esta entrevista de Ana Gomes, e que tirem consequências.
E que não venham dizer que não comentam, porque não têm suficiente informação, pois essa, como é hábito, está em segredo de justiça, e vai parar a várias comissões de inquérito que vão ser inconclusivas.
Ninguém próximo do "Arco do Poder" está interessado em que se conheça a verdadeira causa da crise que toda a Europa está a atravessar, e em particular, Portugal, a qual, como já é claro, teve origem na ilimitada ganância de alguns banqueiros.
Comentem a notícia e a entrevista que é pública, e quais, na sua opinião, deveriam ser as consequências, para o caso de os factos alegados serem verdade.
Trata-se de matéria demasiado importante para que não seja objecto de ampla análise e discussão pública.
Os montantes envolvidos e alegadamente desviados, são suficientes para tornar desnecessários parte dos sacrifícios que o Governo está a exigir aos cidadãos contribuintes.
Se o Povo é piegas e mesmo assim aguenta, os banqueiros também hão-de aguentar...............................
Pedro Tavares


De Privados vs Públicos a 3 de Julho de 2014 às 18:13
Da longa série "toda a gente sabe que a gestão privada é melhor 'cá pública"

Gestão privada

O Hospital Amadora-Sintra paga em duplicado a quase 260 médicos. A situação tornou-se ilegal a partir de 2011, mas os responsáveis pela gestão do hospital têm tardado a conseguir resolver o assunto. Desde a proibição, a administração tem vindo a rescindir gradualmente os contratos com as empresas em nome individual, cujos titulares são médicos do quadro clínico, às quais pagava serviços como horas extraordinárias. De acordo com o "DN", já existiram 419 médicos dos quadros nesta situação.

Gestão pública

Mais de mil trabalhadores do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) juntaram-se num abaixo-assinado a exigir ao conselho de administração que reponha o regime das 35 horas semanais, recentemente aumentado pelo Governo para as 40 horas sem qualquer acréscimo salarial, alteração que contou com a conivência do Tribunal Constitucional.

(-o país do burro)


De Itália bate o pé; tugas sabujam... a 3 de Julho de 2014 às 17:51
Vergastem-me que eu gosto!

Enquanto Cavaco Silva pedia clemência ao presidente alemão, dando-lhe garantias de que os portugueses aprenderam a lição, Passos Coelho continuava a apoiar com entusiasmo as políticas de austeridade, pedindo sucessivas vezes aos algozes calvinistas:
" Vergastem-me que eu gosto!"
Já o pm italiano, Matteo Renzi, foi peremptório e bateu o pé a Merkel:
"Estamos fartos de austeridade. Ou temos valores comuns, ou fiquem com a vossa moeda"
Depois de uma discussão brava, Merkel desdobrou-se em elogios a Renzi.

Quando é que o Thomaz das Alcagoitas e o Coelho da Porcalhota compreendem que ser subserviente é, além de humilhante, uma traição aos portugueses?
Itália assume, hoje, a presidência da CE. Que tal Coelho e Cavaco trocarem umas impressões com Renzi sobre a Europa? Calma aí... não precisam de ir a Itália, falem pelo telefone. A partir de hoje, o roaming baixa 50%, é aproveitar...

(-por Carlos Barbosa de Oliveira , 1/7/2014)


Comentar post