1 comentário:
De Trabalhadores sofrem e caiem... a 18 de Março de 2014 às 14:56

OS CUSTOS DE UMA CRISE IMPOSTA PELO CAPITAL !

[. LEMBRAR OS TRABALHADORES CAÍDOS . - 28 Abril : Workers Memorial Day. ]


Esgotados.
Nove em cada dez portugueses estão exaustos e a maioria quer mudar de trabalho, Estudo da Associação Portuguesa de Psicologia da Saúde Ocupacional alerta para problema de saúde pública:
situações limite de stresse e esgotamento aumentaram nos últimos cinco anos.
Sector público tem os piores indicadores
A maioria dos trabalhadores portugueses está à beira de um ataque de nervos.
É desta forma que a Associação Portuguesa de Psicologia da Saúde Ocupacional (APPSO) começou esta semana a apresentar os resultados de um perfil de riscos psicossociais associado ao trabalho.
Avaliações feitas entre 2008 e 2013 a 38 791 trabalhadores dos sectores públicos e privado revelam que nove em cada dez portugueses que estão empregados apresenta sintomas de exaustão.
A fadiga é associada ao sentimento de sobrecarga no trabalho, perda de energia e recompensas,
mas também a uma diminuição acentuada da percepção de que as organizações onde trabalham são justas ou capazes de ter algum tipo de controlo sobre as tarefas que desempenham.

Se a deterioração dos indicadores de bem-estar em contexto laboral é transversal, com 83% dos trabalhadores em situação de risco moderado de colapso,
o sector público apresenta os piores resultados em todas as variáveis analisadas.
Segundo o estudo, ao qual o i teve acesso, em 2008, 32% dos funcionários do sector público apresentavam critérios para diagnóstico com stresse e em 2013 essa percentagem chegou aos 59%.
No sector privado, subiu de 24% para 43%.
As situações de esgotamento (burnout) também se agravaram e parecem ser mais incidentes no sector público:
15% dos trabalhadores do Estado avaliados tiveram diagnóstico de burnout no ano passado contra 10% na amostra de 2008.
No privado, a incidência ronda os 12%.
(Retirado de notícia do DN de Hoje)


Publicada por A.Brandão Guedes , BemEstarNoTrabalho, 13/3/2014


Comentar post