De Fujões vs Contribuintes a 15 de Dezembro de 2015 às 10:16
... e continua a confirmar-se a Injustiça Fiscal e a Fuga ao Fisco por parte dos Ricos, Banca e grandes empresas ...
e quem paga é ... a classe média, em especial o trabalhador por conta de outrem !!


Correio da Manhã, 15/12/2015:

---- A fatura da Banca: A Banca somou milhões de lucros e pagou poucos impostos.
(Opinião Armando esteves Pereira)

---- Mil mais RICOS FOGEM ao FISCO:
- Centenas de milhões de euros em causa no IRS;
- Ex-director da máquina fiscal alerta para a evasão generalizada de milionários que pagam pouco;
- Bloco de Esquerda exige explicações de responsáveis da administração tributária.


De UEM- injustiça fiscal e ilegitimidade. a 16 de Dezembro de 2015 às 14:30
UEM - injustiça fiscal e crise de legitimidade

(por AG, 15/12/2015, http://causa-nossa.blogspot.pt/ )

Sr. Dijsselbloem, onde está a garantia de depósito comum, sem a qual a União Bancária está incompleta, continuando a deixar os cidadãos desprotegidos? Eles que são sempre os chamados a pagar cada vez mais impostos para receita do Estado, enquanto multinacionais e ricos parqueiam capitais evadidos em paraísos fiscais com apoio dos bancos.

Esta é também, de facto, uma crise de legitimidade, como notou o Presidente Juncker, tão evidente na concorrência fiscal e na corrida para o fundo entre os Estados Membros, agravando a injustiça fiscal. Olhem para o meu país, Portugal: um ex-director da Autoridade Tributária acaba de revelar que 1000 familias ricas que deviam contribuir com 25% das receitas do IRS, de facto só pagam 0,5%. E que foi desmantelada, sob os narizes da Troika, a Unidade da Autoridade Tributária estabelecida para fazer essas famílias pagar.

Até que Comissão e Conselho ponham em prática as medidas que este Parlamento recomenda no relatório do Comité TAXE, harmonizem a fiscalidade e adoptem um Orçamento Europeu realmente capaz de relançar investimento e crescimento, a crise de legitimidade só se agravará, juntamente com desemprego,estagnação e divergência na Zona Euro. A crescer, ominosamente, só os resultados eleitorais de Le Pen e de outras forças xenófobas e anti-europeias!


(Minha contribuição para debate no PE de hoje sobre a União Económica e Monetária)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres