Golpe de Estado contra a democracia
A austeridade contra a democracia

Vacilante, a democracia faz triste figura e tende a naufragar; em pano de fundo, um bipartidarismo institucionalizado ao serviço dos credores. Toda a Europa caminha para uma mesma política de austeridade desejada pelos tecnocratas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Central Europeu. Apesar de o exemplo grego provar que a austeridade não funciona (pelo menos para a população grega), quando finalmente se abrem as urnas de voto, são aplicadas as mesmas políticas, seja quem for o eleito. O povo já nada escolhe. A política económica é tecida de antemão pelos credores, como na Irlanda ou em Portugal, na véspera das eleições. A Troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) impõe suas políticas; ao candidato vencedor nas eleições cabe aplicá-las, enganando o eleitor sobre alguma inexistente diferença entre os partidos, em matéria de economia.

Na Espanha, Mariano Rajoy, herdeiro de Aznar, não se atreveu a divulgar as futuras medidas de austeridade, que lhe prejudicariam a campanha eleitoral. Mal acabou de ser eleito, ainda a ser pressionado para revelar a composição do seu governo e antes mesmo de tomar posse |1|, ei-lo já a reunir com os grandes banqueiros espanhóis - Isidro Fainé da Caixa, Francisco González do segundo banco espanhol, o BBVA, e Rodrigo de Rato, presidente do Bankia e ex-director geral do FMI... Os grandes bancos credores da dívida espanhola seguram as rédeas, Mariano Rajoy gesticula.

Trata-se sem qualquer dúvida de uma ditadura que se vai impondo, como na Grécia, onde a extrema direita fascista (partido Laos) se imiscui no poder, sem mandato recebido das urnas. Entretanto assistimos ao licenciamento de responsáveis políticos que, em vez de serem julgados pelas suas políticas antissociais, as quais jamais mencionaram nos programas eleitorais, são salvos da vingança do povo, depois de terem feito o trabalho sujo. Aconteceu com Berlusconi, que encontrou uma saída airosa, apesar de muitos, com certeza, preferirem vê-lo atrás das grades pelo muito que fez sofrer o povo, condenado também a reembolsar todo o dinheiro que desviou e roubou do contribuinte italiano.

Banco Central Europeu, Itália, Grécia, a dança das cadeiras dos ex-responsáveis da Goldman Sachs

Um paladino da privatização, à testa do Banco Central Europeu

Custe o que custar, incluindo sacrifícios humanos inauditos, a ideologia capitalista ávida de lucros reforça sua dominação em toda a Europa. Durante o mês de novembro de 2011, muitos responsáveis pela débâcle financeira europeia foram empossados, mesmo sem terem sido eleitos. Mario Draghi acaba de ser nomeado para o Banco Central Europeu; Lucas Papadémos caiu de pára-quedas na chefia do Estado grego; e Mario Monti substitui formalmente um Berlusconi já excessivamente impopular para dirigir a Itália. Nenhum desses personagens jamais recebeu um voto, nenhum se comprometeu a cumprir um programa, nada de campanha eleitoral que permitisse discussão ou debate. Mas sobre cada um deles pesa uma parte da responsabilidade pela crise que pretendem resolver, nomeadamente por terem feito parte da atmosfera sulfurosa do banconorte-americano Goldman Sachs, rei das burlas astronómicas. Mario Draghi, enquanto vice-presidente europeu do Goldman Sachs Internationale, Lucas Papadémos, enquanto presidente do Banco Central da Grécia, e Mario Monti, enquanto conselheiro internacional do Goldman Sachs, todos três provocaram, em diferentes graus, a crise europeia, ajudando a falsificar as contas da dívida grega e especulando sobre ela |2|. Carregam pesadas responsabilidades na criação da crise em curso na Europa; por isso, deveriam ser demitidos dos cargos que ocupam e responder pelos seus actos perante a justiça.

por Jérome Duval, este e outros artigos em WWW.cadtm.org 

 



Publicado por Zurc às 21:37 de 18.12.11 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO