Idosos e presos, desigualdades de tratamento

Portugal foi classificado como um dos países que pior trata os seus idosos por isso propomos o seguinte: Colocar os nossos idosos nas cadeias, e os delinquentes fechados nas casas dos velhos. Estes até pensariam estar numa qualquer colónia balnear, de férias.

Esta troca permitiria que os idosos:

Por outro lado, nas casas dos idosos, os delinquentes:

  1. Viveriam com €200  numa pequena habitação com obras feitas há mais de 50 anos.

  2. Teriam que confeccionar a sua comida e comê-la muitas vezes fria e fora de horas.

  3. Teriam que tratar da sua roupa.

  4. Viveriam sós e sem vigilância.

  5. Esquecer-se-iam de comer e de tomar os medicamentos e não teriam ninguém que os ajudasse.

  6. De vez em quando seriam vigarizados, assaltados ou até violados.

  7. Se morressem, poderiam ficar anos, até alguém os encontrar.

  8. As instituições e os políticos não lhes ligariam qualquer importância.

  9. Morreriam após anos à espera de uma consulta médica ou de uma operação cirúrgica.

    10.Não teriam ninguém a quem se queixar.

    11.Tomariam um banho de 15 em 15 dias, sujeitando-se a não haver água quente ou a caírem na banheira velha.

    12.Passariam frio no Inverno porque a pensão de €200 não chegaria para o aquecimento.

    13.O entretenimento diário consistiria em ver telenovelas e o Goucha na televisão.

 Digam lá se desta forma não haveria mais justiça para todos, e os contribuintes não agradeceriam?

(recebido por mail, de autor desconhecido)



Publicado por Zurc às 09:36 de 09.08.11 | link do post | comentar |

ZEFERINA DA BAHIA (em homenagem à igualdade do género)

Ela queria a liberdade, como fosse o mais natural.
Sofria a adversidade, e sonhava com um mundo igual.
Suportava toda a sua dor, e trabalhava pra tudo mudar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Ela lutava na linha de frente, e nada lhe fazia temer.
Arrojada é tão valente, pra ser livre arriscava o viver.
Com seu incrível fulgor, queria ser livre e fazia buscar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Qual cravos e coroa de espinho, no tronco era exemplo.
Quilombo era amor e carinho, era a redenção e o alento.
Unidos tinham humano calor, e a vida era boa de levar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Mil oitocentos e vinte e seis, ao Quilombo ela liderava.
Quilombo do Urubu na vez, toda sua gente se revoltava.
Só razão para se indispor, humano era a infâmia negar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

O errado era a escravidão, monstruosa e injustificável.
Pro dominador uma maldição, um pecado abominável
O povo não era lutador, só lutava era para se libertar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

É Cabula essa Região, e todo Parque São Bartolomeu
Cada Humano sendo um irmão, a partilhar o que é seu.
Irmão é ser partilhador, é amor ao próximo e partilhar
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Ideais eram trabalhados, tinham proposta em vista.
Estavam conscientizados, romper o sistema escravista.
Religiosidade de pendor, pra a humilhação minimizar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Inconformados com exclusão, é arma a ancestralidade
Seja a História ou a tradição, o maior é a humanidade.
Quem deve vai ter temor, o próprio Diabo vai lhe caçar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Ali Liberdade se vivia, e por ela pra sempre se lutava.
O Quilombo garantia, o que o Sistema escravista negava.
Valia enfrentar o estupor, valia viver pra se revoltar
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Uma dor terrível remoía, o escravizador abominável
Se conformar não podia, a escravidão é inconformável.
Escravidão é um tumor, câncer terrível para extirpar.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Ela tinha o seu poder, e sabia como o colocar em ação.
Era o seu sagrado dever, e jamais haveria a vacilação.
Onde florescesse o amor, faziam a revolta desencadear.
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Escravidão é abominável e sempre vai gerar rebelião
Eternamente condenável, e que nunca vai ter perdão.
O cativeiro é um terror, e o cativo tende a se revoltar
A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

Azuir Filho e Turmas: do Social da Unicamp e de: Amigos,
De Rocha Miranda, Rio, RJ e , de Mosqueiro, Belém, PA.


Poesia de Homenagem a Zeferina de Salvador que lutou tantas vezes e que lutaria se mais vida tivesse. O Humano não nasceu para lutar mas, diante da subjugação, não tem outro jeito e tem de insurgir e lutar. Até a natureza o anima a resgatar a liberdade porque o crime de Escravidão é muito grave, é o crime da exploração do Humano. É a desumanizacáo do explorado que não tem forcas para enfrentar e também do dominador que é o vil criminoso, por este quadro dos mais tristes da humanidade. Igual ou pior que os extermínios nazistas. Crime que nenhuma reparação repara, e que os responsáveis estáo demorando a reparar, não acreditam em inferno, e em tudo querem é fazer algum negócio vantajoso. Por isso louvamos Zeferina, ela e os ancestrais lutaram e, então louvamos Zeferina Mulher Parteira, a escrava que Tinha Poder, porque ela nunca teve medo. Os escravos não tinham medo e por isso, os dominadores faziam matar, e Zeferina nunca teve medo, Zeferina lutava na frente, por isso que sempre vamos lhe louvar, até a vitória final. Do humano se libertar de ser o lobo do humano. Louvor A Zeferina de Salvador, a Mulher Brasileira a Lutar.

www.anitagaribaldi.com.br



Publicado por DC às 11:07 de 01.07.11 | link do post | comentar |

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO