Em Memória de Chicago

   

No meu tempo não podia ir ao Continente, nem ao Europa, nem ao Pingo Doce, nem ao MiniPreço, nem ao ... mas tinha emprego e governantes mais rigorosos nos gastos públicos e representantes de trabalhadores honrados e sem se colocarem ao serviço dos partidos.

Não foram postas ao serviço dos trabalhadores , tanto quanto deveriam ter sido, as evoluções tecnológicas e o crescimento económico.

A corrupção e degeneração politica e dos politicos atingiram um descumunal descalabro que destroi nações e povos.

São poucas e nada boas as razões para comemorar. @s lutadore@s de Chicago devem ter vergonha e nós também deveríamos ter com o actual estado de coisas neste país nesta Europa e neste mundo. 



Publicado por DC às 00:37 de 01.05.13 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

REINVENTAR O ESTADO

Urge Reequacionar uma nova dimensão do “Contato Social”, no qual se incluam novos e diferentes paradigmas ao nível do país e com a dimensão, economicamente, global e, culturalmente, universal.

O Estado, enquanto entidade reguladora e equilibradora das diversas e diferentes potencialidades criativas, não pode alienar-se da sua, primordial, importância que é defender os mais fragilizados.

Numa sociedade moderna, onde o paradigma “Estado Social de Direito” consubstanciado numa matriz multicultural, o Estado tem de estar, primordialmente, ao serviço dos mais fragilizados e dos que mais necessitam da sua proteção. Todavia, quer ao longo dos tempos como mais recentemente, foi subvertida esta ordem de princípios e são os mais poderosos que do Estado se têm servido e o têm explorado.

A dicotomia Estado-cidadão ou vice-versa, tem sido corrompida por ambos os lados:

Reinventar o Estado passa, também, por cada um de nós (enquanto cidadãos, se nos quisermos de corpo inteiro) nos preocuparmos por um mais claro e constante esclarecimento sobre a vida colectiva, passa por estarmos mais atentos aos acontecimentos políticos (incluindo os partidos) e governativos.

Um povo desperto obriga o político ser mais honesto, um povo distraído permite que mais facilmente o político seja corrompido.



Publicado por Otsirave às 16:59 de 11.01.13 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

A VIRGINDADE DA TROICA E OS TOMATES DO PASSOS

A a tróica é como uma rapariga desesperada, na véspera do casamento, e o Passos é como um, enganado, noivo.

A rapariga (tróica) por já não ser virgem, consulta a sua prima mais velha (Sr.ª Merkel) que a atende rapidamente:

- Minha querida, na noite de núpcias, coloca um pouquinho de pólvora na 'Periquita'. Quando vocês começarem o movimento, a pólvora aquece e estoira. Quando ele perguntar o motivo do barulho, dizes que foi a tua virgindade que foi embora!

Atendendo às dicas da prima, fez o combinado, mas ela já tinha dado muita cambalhota, então caprichou na dose.

Na hora da transa, houve uma super explosão, o marido preocupado perguntou:
-O que foi isso?

-Ela:
-Foi minha virgindade que se foi!

-Mas ela volta? - pergunta ele.

-Porquê? - diz ela.

-É que os meus tomates foram junto!!!!

 

É claro que o A. J. Seguro também pouco pode fazer, já há muito perdeu os seus tomates, e o zé-povinho parece que nunca os chegou a ter.

Será que vamos ficar sem procriar durante várias décadas, até que algum marciano ou outro qualquer extraterrestre nos venha inseminar?

 



Publicado por DC às 15:07 de 31.08.12 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

Porcos

  

Antigamente e, sobretudo, em crianças guardávamos as nossa economias nuns porquinhos.

Agora há uns porcos que nos roubam o dinheiro e não conseguimos fazer o minímo de economias,

Mudaram-se os tempos e os porcos, estes de agora são maiores e intocáveis.



Publicado por Zurc às 21:28 de 28.07.12 | link do post | comentar |

NA POLÍTICA, É BOM TER AMIGOS...



Publicado por [FV] às 18:22 de 27.10.11 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

CARRIS | E O «ZÉ» PAGA...



Publicado por [FV] às 12:43 de 20.10.11 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

POLÍTICAS SÉRIAS, PRECISAM-SE!



Publicado por [FV] às 11:17 de 18.10.11 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

POLÍTICOS A SÉRIO, PRECISA-SE!



Publicado por [FV] às 12:36 de 17.10.11 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

Boys à vez, agora são os do PSD

Governo já fez quase 500 nomeações em dois meses.

Segundo divulgação da Lusa e o DN publicou, de acordo com os dados disponíveis sexta-feira no portal do Governo, entre as 65 pessoas do ministério de Miguel Relvas, 15 foram nomeadas para o gabinete do ministro, e nove para o gabinete do secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

Estas nomeações também podem ser elencadas através de consulta da publicação no DR, no portal da Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM).

Para a secretaria de Estados dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade foram nomeadas 10 pessoas, para o gabinete da secretária de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa foram nomeados 13 funcionários, enquanto na secretaria de Estado do Desporto e Juventude existiram 18 nomeações.

Contudo, tal como em outros ministérios, como o caso do ministério da Agricultura, o Governo não divulga os nomes e remunerações de todas as pessoas que foram nomeadas para o ministério de Miguel Relvas.

Por exemplo, no quadro disponível relativo ao gabinete do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares é indicado que foram feitas 15 nomeações, mas apenas se encontram "discriminados" os nomes e remunerações de 12 pessoas.

O segundo maior ministério em termos de pessoal nomeado é o da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, com 60 nomeações, incluindo 14 para o gabinete de Assunção Cristas, 10 para a secretaria de Estado da Agricultura, sete para a secretaria de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, 10 para a secretaria de estado do Mar e 19 para a secretaria de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território.

É obra! Ainda houve quem tivesse acreditado nas inverdades de PPC & C.ª que afirmaram: “não iremos substituir os boys socialistas pelos do PSD”, os números revelam tais mentiras.



Publicado por Zé Pessoa às 12:28 de 30.08.11 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

Explicar o BCE na esplanada do café

Assim até os tolos entendemos, é isso que têm e pretendem continuar a fazer de nós cidadão, também com culpas próprias, pelo menos por omissão e acomodamento.

 

A Primavera esmerou-se. Um sol agradável acariciava-nos na esplanada do café à beira da minha porta. A chegada do Senhor Antunes, o mais popular dos meus vizinhos, deu ensejo a uma lição sobre Europas e finanças a nós todos que disto pouco ou nada percebemos.

- Oh Sô Antunes explique lá isso do Banco Central Europeu, aqui à rapaziada do Café.

- Então vá, vá lá, Só por esta vez. O BCE é o banco central dos Estados da UE que pertencem à zona euro, como é o caso de Portugal.

- E donde veio o dinheiro do BCE?

- O capital social, o dinheiro do BCE, é dinheiro de nós todos, cidadãos da UE, na proporção da riqueza de cada país. Assim à Alemanha correspondeu 20% do total. Os 17 países da UE que aderiram ao euro entraram no conjunto com 70% do capital social e os restantes 10 dos 27 Estados da UE contribuíram com 30%.

- E é muito, esse dinheiro?

- O capital social era 5,8 mil milhões de euros mas no fim do ano passado foi decidido fazer o 1º aumento de capital desde que há cerca de 12 anos o BCE foi criado, em três fases. No fim de 2010, no fim de 2011 e no fim de 2012 até elevar a 10,6 mil milhões o capital do banco.

- Então se o BCE é o banco destes Estados pode emprestar dinheiro a Portugal, não? Como qualquer banco pode emprestar dinheiro a um ou outro dos seus accionistas.

- Não, não pode.

- ??

- Porquê? Porque... porque, bem... são as regras.

- Então a quem pode o BCE emprestar dinheiro?

- A outros bancos, já se vê, a bancos alemães, bancos franceses ou portugueses.

- Ah percebo, então Portugal, ou a Alemanha, quando precisa de dinheiro emprestado não vai ao BCE, vai aos outros bancos que por sua vez vão ao BCE e tal.

- Pois.

- Mas para quê complicar? Não era melhor Portugal ou a Grécia ou a Alemanha irem directamente ao BCE?

- Não. Sim. Quer dizer... em certo sentido... mas assim os banqueiros não ganhavam nada nesse negócio!

- ??!!..

- Sim os bancos precisam de ganhar alguma coisinha. O BCE de Maio a Dezembro de 2010 emprestou cerca de 72 mil milhões de euros a países do euro, a chamada dívida soberana, através de um conjunto de bancos XPTO, a 1% e esse conjunto de bancos XPTO emprestaram ao Estado português e a outros Estados a 6 ou 7%.

- Mas isso assim é um "negócio da China"! Só para irem a Bruxelas buscar o dinheiro!

- Neste exemplo ganharam uns 3 ou 4 mil milhões de euros. E não têm de se deslocar a Bruxelas, nem precisam de levantar o cu o rabo da cadeira. E qual Bruxelas qual carapuça. A sede do BCE é na Alemanha, em Frankfurt, onde é que havia de ser?

- Mas então isso é um verdadeiro roubo... com esse dinheiro escusava-se até de cortar nas pensões, no subsídio de desemprego ou de nos tirarem o 13º mês, que já dizem que vão tirar...

- Mas, oh seu Zé, você tem de perceber que os bancos têm de ganhar bem, senão como é que podiam pagar os dividendos aos accionistas e aqueles ordenados aos administradores que são gente muito especializada.

- Mas quem é que manda no BCE e permite um escândalo destes?

- Mandam os governos dos países da zona euro. A Alemanha em primeiro lugar que é o país mais rico, a França, Portugal e os outros países.

- Deixa ver se percebo. Então os Governos dão o nosso dinheiro ao BCE para eles emprestarem aos bancos a 1% para depois estes emprestarem a 5 e a 7% aos Governos donos do BCE?

- Não é bem assim. Como a Alemanha é rica e pode pagar bem as dívidas, os bancos levam só uns 3%. A nós ou à Grécia ou à Irlanda que estamos de corda na garganta e a quem é mais arriscado emprestar é que levam juros a 6%, a 7 ou mais.

- Nós somos os donos do dinheiro e nós não podemos pedir ao nosso banco...

- Nós, nós, qual nós? O país, Portugal ou a Alemanha, é composto por gentinha vulgar e por pessoas importantes que dão emprego e tal. Você quer comparar um borra-botas qualquer que ganha 400 ou 600 euros por mês ou com um calaceiro que anda para aí desempregado com um grande accionista que recebe 5 ou 10 milhões de dividendos por ano, ou com um administrador duma grande empresa ou de um banco que ganha, com os prémios a que tem direito, uns 50, 100, ou 200 mil euros por mês. Não se pode comparar.

- Mas e os nossos Governos aceitam uma coisa dessas?

- Os nossos Governos, os nossos Governos... mas o que é que os governos podem fazer? Por um lado são na maior parte amigos dos banqueiros ou estão à espera dos seus favores, de um empregozito razoável quando lhes faltarem os votos. Em resumo, não podem fazer nada, senão quem é que os apoiava?

- Mas oh que porra de gaita então eles não estão lá eleitos por nós?

- Em certo sentido sim, é claro, mas depois... quem tem a massa é que manda. Não viu isto da maior crise mundial de há um século para cá?
Essa coisa a que chamam sistema financeiro que transformou o mundo da finança num casino mundial como os casinos nunca tinham visto nem suspeitavam e que ia levando os EUA e a Europa à beira da ruína? É claro, essas pessoas importantes levaram o dinheiro para casa e deixaram a gentinha que tinha metido o dinheiro nos bancos e nos fundos a ver navios. Os governos então, nos EUA e cá na Europa, para evitar a ruína dos bancos tiveram que repor o dinheiro.

- E onde o foram buscar?

- Onde havia de ser!? Aos impostos, aos ordenados, às pensões. Donde é que havia de vir o dinheiro do Estado.

- Mas meteram os responsáveis na cadeia.

- Na cadeia? Que disparate. Então se eles é que fizeram a coisa, engenharias financeiras sofisticadíssimas, só eles é que sabem aplicar o remédio, só eles é que podem arrumar a casa. É claro que alguns mais comprometidos, como Raymond McDaniel, que era o presidente da Moody's, uma dessas agências de rathing que classificaram a credibilidade de Portugal para pagar a dívida como lixo e atiraram com o país ao tapete, foram passados à reforma. O Sr. McDaniel é uma pessoa importante, levou uma indemnização de 10 milhões de dólares a que tinha direito.

- Oh Sor Antunes, então como é? Comemos e calamos?

- Isso já não é comigo, eu só estou a explicar
 

(autor desconhecido)



Publicado por DC às 15:04 de 31.05.11 | link do post | comentar | ver comentários (3) |

PCP e BE iniciaram a mudança de discurso, talvez não seja tarde

Sindicatos destroem a sua mais poderosa arma reivindicativa, a greve.

O recurso ao uso recorrente e corriqueiro de uma arma que, apenas e só, deveria ser usada em último recurso, torna-se ineficaz, além de a voltar contra quem dela deveria beneficiar.

Muitos trabalhadores já perceberam esses factos e circunstâncias erróneas do excessivo uso, por parte dos dirigentes sindicais que, a reboque de certos interesses partidários, recorrem excessiva e abusivamente à marcação de greves.

Esta realidade verificou-se, mais recentemente, com a greve promovida pelos sindicatos da função pública em que a adesão se redundou num claro fracasso para os comunistas acolitados pelos bloquistas, promotores de tais greves.

Mais uma vez, como sempre, estalou a guerra dos números que, para as contas oficiais das instituições públicas a greve não foi além dos 4,52% e para os sindicalistas chegou aos 60%.

Os números, a serem verdadeiros, conforme o DN fez publicação, (algo desconcertantes) foram, na área da saúde, de um universo de 78 mil, só não trabalharam 4.845 e nas finanças a adesão terá rondado os 4,52%. Já ao nível da educação, dos 78582 trabalhadores, terão picado o ponto 4.845 (demasiado preciosismo e muita coincidência!).

Sendo que no conjunto e, conforme divulgado, ao todo os que não picaram o ponto terão sido, em concreto, os 12.583.

O que não se sabe é quantos são os que fogem ou estão isentos de picagem de ponto ou, de qualquer forma, isentos de controlo de assiduidade, coisa que, também, muito frequentemente os sindicatos são permissíveis ou mesmo coniventes com tais irresposabilizações e laxismos.

Contradições, promiscuidades, corrupção de éticas comportamentais que prejudicam todos, muito particularmente os poucos sérios e cumpridores trabalhadores. Tais promiscuidades e faltas de ética nos empurraram ao estádio de irresponsabilidades e laxidão em que nos encontramos e que nos impõem a circunstância de ter vindo do exterior alguém para nos imporem regras de comportamentos e de novas atitudes.

É pena mas não será em vão se aprendermos a lição.

Bastar-nos-á a aprendizagem de novas atitudes e a correcção de erros cometidos, conseguido isso não será necessária a overdose de ultraliberalismo com que o PSD nos pretende brindar, segundo aquela velha máxima de ser mais papista que o próprio papa, sendo neste caso que o papista seria Passos Coelho e seus acólitos e o papa a troika, que nos veio impor as mediadas que deveríamos ter sido capazes de acolher por iniciativa própria.

Sem prejuízo do debate, mais aprofundado, que estas e outras matérias, muito urgentemente, exigem que seja feito.

Tanto como reclamar direitos é igual e primeiramente importante assumir obrigações, o nosso primeiro e, talvez, principal erro foi termos olvidado este principio.



Publicado por Zurc às 23:08 de 08.05.11 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

Prestar contas

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, defende que "é crucial que os decisores de política e os gestores públicos prestem contas e sejam responsabilizados pela utilização que fazem dos recursos postos à sua disposição pelos contribuintes".

Carlos Costa rompe assim a tradição desresponsabilizante de Constâncio (entretanto premiado com uma sinecura no BCE), que os portugueses se habituaram a ouvir repetidamente reclamar que os sucessivos défices, alimentados pela imprudência, quando não pela gestão danosa, dos governos dos últimos 12 anos, fossem resolvidos à custa da redução de salários e pensões.

É, de facto, escandalosamente imoral que os erros dos decisores políticos sejam pagos pelos 257.745 desempregados que, segundo números da Segurança Social, perderam o subsídio de desemprego e o subsídio social de desemprego, o que significa igual número de famílias na miséria, ou pelas outras centenas de milhar que ficaram sem RSI ou abono de família (retirado a 645.600 famílias desde Novembro).

Isto enquanto os encargos com vencimentos, "despesas de representação", horas extraordinárias, ajudas de custo, suplementos, prémios, subsídios de residência e alojamento e outros mais dos "boys" e "girls" dos gabinetes ministeriais ascenderam a 19,7 milhões de euros em 2010. E ainda ficam de fora os gabinetes dos 38 secretários de Estado, às vezes mais "populosos" do que os dos próprios ministros...

Manuel António Pina [Jornal de Notícias]



Publicado por JL às 00:11 de 29.04.11 | link do post | comentar | ver comentários (2) |

CABRAS EM SÃO BENTO

A cabra terá sido um dos primeiros animais a ser domesticados, algures no Médio Oriente, por voltas do ano 7000 a C.

As treze freguesias do conselho de Guimarães, que este ano é capital europeia da cultura, irão receber, do respectivo município, um apoio financeiro para a aquisição de alguns daqueles animais ruminantes, de modo a serem utilizados na limpeza das ervas em espaços publicos.

Deixo aqui o pedido àquelas populações vimaranenses para que nos tragam, durante algum tempo, os caprinos, para ver se limpam, tambem, em Lisboa sobretudo ali para as bandas de São Bento, muitas das ervas daninhas que abundam nesta nossa capital.



Publicado por Zurc às 09:32 de 28.03.11 | link do post | comentar |

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO