Cidadania, recenseamento e voto electrónico

Peticionemos     (-por David Crisóstomo, 19/11/2015, 365forte) 

peticionemos.png

Os emigrantes enfrentam vários problemas:

- Recenseamento opcional: os emigrantes são riscados das listas e têm de se recensear de novo quando mudam de morada para o estrangeiro, como se deixassem de ser portugueses. Em Portugal o recenseamento é automático.

- Recenseamento presencial: os emigrantes têm de perder dias de trabalho e fazer deslocações por vezes extremamente longas para se recensearem.

- Cartão de Cidadão: os emigrantes são obrigados a ir duas vezes aos consulados para terem um novo cartão de cidadão, e os consulados podem estar bem longe.

- Voto postal: o voto postal dificultou ou impediu o voto no Brasil, Timor-Leste, Macau e Emiratos Árabes Unidos. Votos foram para ao lixo por chegarem depois dos prazos!

 Estamos no século XXI, os portugueses tratam de todos os seus assuntos pela Internet. Portugal vangloria-se de ser um dos países da Europa com o maior número de serviços disponíveis online.

Porque teremos ainda leis do século passado para o recenseamento e voto dos emigrantes?

 Assinar



Publicado por Xa2 às 07:45 de 24.11.15 | link do post | comentar |

Portugal tem 12 milhões de habitantes?

 

A fazer fé nos 9.667.025 inscritos nos cadernos eleitorais, portanto, pessoas com mais de 18 anos de idade, Portugal deverá ter uns 12 milhões de residentes, dos quais mais de 11,5 milhões serão portugueses.

Efectivamente, a essa virtual população com direito a voto temos de acrescentar 1,8 milhões de crianças e jovens com menos de 18 anos e mais umas tantas pessoas não inscritas e quase meio milhão de estrangeiros que não votam. Tudo somado dá os tais 12 milhões de residentes, o que não é revelado pelos censos nem mencionado nos dados demográficos do INE.

Não sei como foram actualizados os cadernos eleitorais e se os mortos foram devidamente retirados.

De qualquer modo, eu estive numa mesa eleitoral em que de 1.001 inscritos votaram 511 eleitores e maioritariamente nascidos em 1977 e um pouco mais ou um pouco menos, portanto cidadãs e cidadãos com 32 anos, mais ano menos ano, pertencendo a uma faixa etária pouco atingida pela morte. A abstenção foi aí inferior a 50% e creio que é essa a verdadeira percentagem nas últimas eleições.

Portugal com 10,45 milhões de habitantes em números oficiais não pode ter 9,66 milhões nos cadernos eleitorais.

Deve pois haver um grande erro no cálculo dos inscritos nos cadernos eleitorais ou então somos bem mais que aquilo que o INE calcula.

Curiosamente, nos dados do censo de 2001 para a Freguesia do Lumiar verifiquei que davam um aumento superior em números de unidades habitacionais independentes que em número de habitantes, relativamente ao censo de 1991, o que pareceu incrível.

Claro, as mulheres e homens que andaram a fazer o censo colocaram nas caixas do correio muitos papelinhos para as pessoas entregarem na Junta de Freguesia com os dados do agregado familiar, pois muita gente não estava em casa. Eu tive o cuidado de entregar o meu verbete na Junta, mas provavelmente houve quem o não tivesse feito pela natural e ancestral preguiça e falta de civismo. Assim, resultou um crescimento de habitações superior em mais de mil unidades que a população.

Enfim, é lamentável que não tenhamos funcionários públicos capazes de fazer um bom trabalho e riscar os mortos dos cadernos eleitorais ou fazer um censo correcto, os quais não são apoiados por uma população com elevado sentido do civismo. Por isso, também não acredito que o PIB nacional seja tão baixo e se detectem pequenas variações percentuais de trimestre em trimestre.



Publicado por DD às 09:29 de 10.06.09 | link do post | comentar | ver comentários (1) |

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO