De Nova Presidência da República Portuguesa a 9 de Março de 2016 às 10:27

O prof. Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente que hoje (9/3/2016) será empossado,
não foi eleito com o meu voto mas isso não lhe retira um milímetro da representação que lhe reconheço, aliás na sequência do seu discurso inclusivo proferido no dia das eleições.

Desejo-lhe os maiores sucessos políticos e pessoais no mandato que agora inicia.

Zé T.


De Presidentes, «nacional» e censura. a 10 de Março de 2016 às 09:43
--- O Lápis Azul da SIC Notícias

(09/03/2016 por Bruno Santos, Aventar)


A SIC Notícias recebeu o novo Chefe de Estado truncando o seu discurso inaugural, manipulando, através de um truque de montagem desonesto e lamentável, a mensagem dirigida ao Presidente cessante.
Uma vergonha para o jornalismo e um insulto aos portugueses e ao seu novo Presidente.

De facto, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se ao seu antecessor em termos muito claros e significativos, designadamente no que respeita ao entendimento muito próprio que este teve sobre o “interesse nacional”.

O discurso de tomada de posse é esclarecedor ao afirmar a subjectividade óptica do conceito de “interesse nacional” adoptado por Cavaco Silva:

«Senhor Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva,
Ao percorrer, num imperativo exercício de memória, a longa e singular carreira de serviço à Pátria de Vossa Excelência – com uma década na chefia do Governo e uma década na chefia do Estado, que, largamente, definiram o Portugal que temos – entendo ser estrito dever de justiça – independentemente dos juízos que toda a vivência política suscita – dirigir a Vossa Excelência uma palavra de gratidão pelo empenho que sempre colocou na defesa
do interesse nacional – da ótica que se lhe afigurava correta, é certo –
mas sacrificando vida pessoal, académica e profissional em indesmentível dedicação ao bem comum.”»

Acontece que a peça de reportagem apresentada pela SIC eliminou esta importante referência, através de um truque de corte e montagem (aparece o rosto da Dra. Manuela Eanes) que
alterou por completo o significado literal e simbólico da mensagem
do novo Presidente que, obviamente, quis dizer na sua intervenção
que jamais foi consensual o conceito de “interesse nacional” evocado pelo seu antecessor.

E tem razão. O interesse do país nunca foi a prioridade de Cavaco Silva. Antes pelo contrário.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres