7 comentários:
De Rios q. vão pró L. Carmo, 22:00, 24Abril a 24 de Abril de 2014 às 10:20

Rios ao Carmo
TODOS OS RIOS VÃO DAR AO CARMO!

Na noite de 24 de Abril saltam rios de vários pontos da cidade. Vários rios de gente que quer estar na rua neste dia – em vez de estar sozinha em sua casa – e que, com panelas, instrumentos, pancartas, vozes e vontades, desaguam no Largo do Carmo.

Não é por acaso que queremos regressar a este sítio. Não só porque faz 40 anos que este largo se encheu de gente que não obedeceu às indicações de ficar em casa do Movimento das Forças Armadas, mas também porque queremos viver e reclamar o espaço público.

Para estes rios existirem, terão de ser criadas nascentes. Pega em ti e nos teus amigos, no teu grupo musical, no teu colectivo ou na tua equipa de atletismo, fala com outras pessoas, pensa num ponto de encontro, organiza o teu percurso.

Participa, traz as tuas ideias e vontades, instrumentos, comida, bebida e um saco do lixo.

- riosaocarmo@riseup.net
- Evento no Facebook
--------------------------------
RIOS AO CARMO:

- Bairro 25 de Abril
Parque Catarina Eufémia (Barreiro), 20h
Evento no Facebook

- Carruagem da Liberdade
Comboio com partida de Sintra às 18h55, chegada ao Rossio às 19h34
Evento no Facebook

- Comboio da Liberdade
Comboio com partida de Cascais às 20h04
Evento no Facebook

- Comboio de Vila Franca -Alverca – Sacavém
Comboio com partida de Vila Franca de Xira às 19h45
Evento no Facebook

- Curto e Grosso 450 + Estudantes ao Carmo
Faculdade das Belas-Artes (Lisboa), concentração às 17h, partida às 20h45
Evento no Facebook + Evento no Facebook

- E o asfalto é tão largo…
Largo da Achada (Lisboa), 20h30
Evento no Facebook

- Frente Poesia 25 de Abril
Largo do Chiado (Lisboa), 20h30
Evento no Facebook

- Mais um Rio – Filhos da Madrugada
Rua de São Bento (Lisboa), 20h
Evento no Facebook

- Podes ser a gota de água + Afluente Marea Granate Lisboa + Com abraços de cultura + Gaiteiros e percussionistas ao Carmo
Tribunal Constitucional, Rua do Século, nº 111 (Lisboa), 21h
Evento no Facebook + Evento no Facebook + Evento no Facebook + Evento no Facebook

- PREC’s not dead + Capitães Queer – Abril Para Todas as Famílias + Movimento basta!!! Okupar o Carmo
Jardim do Príncipe Real (Lisboa), 21h
Evento no Facebook + Evento no Facebook + Evento no Facebook


- Queremos um Novo Abril!
Largo do Rossio (Lisboa), 21h
Evento no Facebook

- Rés-vés Campo d’Ourique
Praça São João Bosco (Lisboa), 21h
Evento no Facebook

- Ribeira das Águas Livres + #RiosAoCarmo
Banco de Portugal, Av. Almirante Reis (Lisboa), 20h
Evento no Facebook +Evento no Facebook

- Ribeira de Algés
Jardim do Parque Anjos (Algés), 19h30
Evento no Facebook

- Rio de Janeiro – Rabbit Hole
DNA Lisboa, Rua das Gaivotas, 6 (Lisboa), 20h30
Evento no Facebook

- Rio da Graça
Miradouro da Graça (Lisboa), 20h30
Evento no Facebook

- Rio de todas as cores
Rua do Comércio, 8 (Lisboa), 21h
Evento no Facebook

- Só Há Liberdade A Sério Quando Houver
Largo do Intendente (Lisboa), 21h
Evento no Facebook

- Triunfo dos Excravos
Praça do MFA (Almada), 20h; Terminal de transportes (Cacilhas), 20h30; Cais do Sodré (Lisboa), 21h
Evento no Facebook

- + UM RIO
Café República, Av. D. Carlos I (Lisboa), 21h

+ Telheiras até ao L. Carmo

+ ... ... ...


De TELHEIRAS (Coro ART) 20:30 ao Carmo a 24 de Abril de 2014 às 10:29

TODOS OS RIOS VÃO DAR AO CARMO ! – Coro da Associação de Residentes de Telheiras (ART)

Abril 23, 2014 //
Evento no Facebook

O CORO ART ASSOCIA-SE À INICIATIVA DE “TODOS OS RIOS VÃO DAR AO CARMO”

ENCONTRO NO METRO DE TELHEIRAS ÀS 20H30 NO DIA 24 DE ABRIL
VAMOS NO METRO A CANTAR ATÉ À BAIXA CHIADO E DEPOIS SUBIMOS ATÉ AO LARGO DO CARMO

POR FAVOR DIVULGUEM PARA QUE O BAIRRO DE TELHEIRAS ENCHA ESTE RIO

25 DE ABRIL SEMPRE!
OBRIGADO!


De DesGoverno neoliberal + à direita q... a 23 de Abril de 2014 às 15:50
----- Paradoxos de Abril
por Pedro Correia, em 22.04.14

1. Um enrouquecido Freitas do Amaral denuncia as "tentativas de ataque à Constituição" contra a qual ele próprio votou em Abril de 1976.

2. Um enrouquecido Freitas do Amaral insurge-se contra o Governo "mais à direita" dos últimos 40 anos depois de ter fundado o partido mais à direita do espectro parlamentar.

3. Um enrouquecido Freitas do Amaral apela ao povo para manifestar "reprovação total" ao Executivo cuja "capacidade de concretização", na opinião de um seu homónimo, permitiu lançar "mais reformas" em Portugal nos primeiros cem dias do que nos três anos anteriores.

----- Antifascismo 'rétro'
por Pedro Correia, em 21.04.14

Quarenta anos depois, estreando cravo vermelho na lapela, Diogo Freitas do Amaral fez hoje um corajoso discurso antifascista no palco do Teatro D. Maria II. Denunciando o "lápis azul" da censura num "país fechado", de "partido único", em que os políticos da oposição eram presos e "a industrialização era tida como perigosa para a moral e os bons costumes".

Este discurso do homem que em 1976 votou e levou a sua bancada parlamentar a votar contra a Constituição da República na Assembleia da Constituinte pareceu-me interessante, mas algo desajustado no tempo. Vindo de onde veio, chegou simplesmente com quatro décadas de atraso.


De 40 anos de 25Abril; e agora, que fazer ? a 23 de Abril de 2014 às 11:41

40 ANOS DE 25 DE ABRIL (1)

Em vésperas das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril é natural que todos os demónios se soltem. Há várias razões para que as actuais comemorações do 25 de Abril sejam as mais importantes de sempre no plano político.
Não sei se vão ter eficácia para os objectivos dos seus proponentes, quer os que as querem evitar cuidadosamente fazendo umas vénias de circunstância, quer os que esperam grandes mobilizações.
O 25 de Abril como evento histórico assume hoje um largo consenso, embora o seu simbolismo no discurso político actue como factor de divisão.
Parece uma contradição, mas não é. São duas coisas diferentes.

O inquérito do ICS, divulgado pelo Expresso, revela que o 25 de Abril, enquanto acontecimento já envolvido pela história, não divide os portugueses.
Porém, é só esperar pelos próximos dias, à volta da sessão na Assembleia da República e
com as manifestações “populares” habituais, cuja dimensão é fácil de prever que vai ser grande, para retirar a conclusão de que a data e a sua interpretação vão polarizar uma parte da elite política e social portuguesa.
E essa polarização é tudo menos amável.

OS 40 ANOS DO 25 DE ABRIL (2)

A esquerda criou para si própria um handicap no modo como nomeia o 25 de Abril.
Fez sempre como na história do Pedro e o lobo, tanto berrou que vinha aí o lobo que agora que ele aparece de facto, ninguém acorre ao seu chamamento.
E o lobo que vem está muito para além do conflito esquerda-direita, tendo sido aliás mais claramente identificado à direita do que à esquerda.

Por isso, a natureza da polarização que tem sentido à volta do 25 de Abril está muito para lá dos temas habituais do “Portugal de Abril”, interpretado pelo PCP, pelo BE e timidamente pelo PS.

Envolve a questão da independência e soberania nacional, do modo como se entende o contrato social, mais do que o “estado social”, da saúde da democracia portuguesa.
Advém mais do “democratizar”, do que do “desenvolver”, na lista dos 3 Ds.
E isso implica uma nova formulação política mais abrangente do que as divisões entre o 25 de Abril pomposo e oficial e o das “comemorações populares”.

---JPP, Abrupto


De 40 da Morte da democracia/25Abril?! a 23 de Abril de 2014 às 12:53

24 de Abril sempre, democracia nunca mais

Ricardo Araújo Pereira, (17/4/2014) hoje perfeito, para meu gosto:

«Celebram-se este mês os 40 anos da morte do 25 de Abril. Ou talvez não seja bem isto. Mas parece. (...)
Os capitães de Abril não estarão presentes.
Durante o estado Novo, as pessoas que fizeram o 25 de Abril não podiam falar na Assembleia da República.
Ao fim de 30 anos de democracia, continuam a não poder.
Podem estar presentes, desde que seja só para enfeitar.»

«Celebram-se (na AR ?) os 40 anos da MORTE do 25 de Abril. Ou ... parece.»

Na íntegra AQUI. http://entreostextosdamemoria.blogspot.pt/2014/04/visao-1742014-p106.html


De Mandados? desGovernados ?! Chega !! a 23 de Abril de 2014 às 11:11

Mandados?


A Humanidade constitui o primado mas não nos retira dum território, não silencia a língua, nem os laços institucionais e políticos que nos fizeram portugueses, não apaga os sentimentos e as emoções que nos prendem a esta montanha, ao rio da minha aldeia, a este mar, a esta cidade alta banhada pela luz do rio. O quinhentista português Franscico de Almeida (...) definia pátria ou grei como 'a congregação dos nossos parentes, amigos, compatriotas, a que chamamos república , que celebra nosso nome de geração em geração até ao fim do mundo onde a memória de todas as coisas acaba' (...) Mas como sair desta armadilha? É deixando-nos conduzir pela arreata destes cegos que nos arrastam para o precipício? Os mandados têm que assumir o mando.

António Borges Coelho, Portugal, Le Monde diplomatique - edição portuguesa, Abril de 2014.


Postado por João Rodrigues às 22.4.14


De Todos ao L. Carmo, 25 Abril, às 11:00 a 23 de Abril de 2014 às 10:38
Como sabem, os “capitães de abril” marcaram uma concentração para o Largo do Carmo no dia 25 de abril, às 11h00,
a mesma hora das comemorações oficiais na Assembleia da República, uma vez que não foram autorizados a aí discursar.

Assim, é de extrema importância que todos façamos a maior mobilização possível para que consigamos uma presença em massa.

Vamos marcar ENCONTRO ÀS 9h45 JUNTO AO CAFÉ "A BRASILEIRA" DO CHIADO (R. Garrett, 120). SEGUIMOS PARA O L. DO CARMO ÀS 10H15.

No entanto, estando ou não connosco, o importante é a presença no Largo do Carmo às 11h
e que também o vosso Movimento mobilize o máximo possível de membros.

Neste dia 25 de abril vamos todos fazer história.
De forma diferente, mas talvez não menos importante do que aconteceu há 40 anos!

Nessa altura, lutou-se pela liberdade e pela democracia e conseguiu-se implementá-la.
Hoje temos de lutar e conseguir restaurar a democracia que temos vindo a perder e conservar a liberdade que se vai desvanecendo.

Não podemos mais continuar passivamente em casa, no café e com bonitos textos no Facebook, a protestar contra o “estado a que chegámos” de que noutro contexto falava Salgueiro Maia na madrugada do 25 de abril de 1974 aos seus soldados.

Chegou a altura de passarmos à ação.
De deixarmos de estar à espera que os outros tomem a iniciativa!
Na altura foram os “capitães” que muito fizeram por nós, agora é chegada a hora de estarmos nós com eles de alma e coração.

Não podemos mais adiar a nossa participação. Não podemos virar as costas à História!


https://www.facebook.com/notes/associação-25-de-abril/comunicado-da-associação-25-de-abril/701642626544343


https://www.facebook.com/events/853357964691362/?ref_newsfeed_story_type=regular.

Só assim conseguiremos…



Comentar post