De Coligação vs Partido + votado, v.útil... a 25 de Setembro de 2015 às 11:25
(Vital Moreira, 23e24/9/2015, CausaNossa)

---- as aparências podem enganar:
se a Coligação PSD-CDS ganhar as eleições, isso quer dizer automaticamente que o PSD é o partido vencedor e tem direito a formar governo, mesmo que não seja o partido com mais deputados na AR?
NÃO.
--- sobre a irrelevância das coligações eleitorais para efeitos de formação de governos.
... 4. Na nossa democracia parlamentar quem forma os governos são os partidos representados no parlamento (artº22 da Lei eleitoral) e não as eventuais coligações eleitorais pretéritas.
Quando o Presidente da República tiver de iniciar a constituição de novo governo, os seus únicos interlocutores são os líderes dos partidos representados na AR e não alegados lideres de uma dissolvida coligação eleitoral (que aliás nunca teve uma liderança única, por não ter identidade própria).
Seria aliás politicamente inaceitável numa democracia representativa que um partido político valesse não pelo número de mandatos que tem no parlamento mas sim pelo número dos seus deputados... e dos de outro partido.
Um partido não pode "majorar" ou "aditivar" a sua representação parlamentar com os deputados de outro partido. Cada partido vale por si!

5. Em conclusão, o PSD só pode vir a formar governo e reconstituir uma eventual coligação de governo com o CDS (ou com outro partido!) se for o partido com mais mandatos populares
e não por ter tido mais votos (ou ter mais deputados) junto com outro.
É assim a democracia parlamentar!

--- ''O mal maior''

Para os eleitores de esquerda que têm reservas em relação ao PS (por "não ser suficientemente de esquerda"),
a questão a que têm de responder nas eleições consiste mais uma vez no seguinte:

-- é preferível votar no PS para vencer a direita e permitir um governo de esquerda, mesmo que moderada?

-- ou é preferível votar nas esquerdas à esquerda do PS para reforçar as forças de protesto, mas facilitando uma vitória da direita e a manutenção do atual Governo?

Para as pessoas que se consideram à esquerda do PS e que não estão vinculados a outros partidos,
um governo PS deveria ser preferível a um governo de direita, ou pelo menos um "mal menor" (basta ter em conta a construção do Estado social entre nós).
Mas a história das eleições mostra que há quem prefira o mal maior.

--Adenda
há ainda a questão do voto inútil nos círculos eleitorais (e são a maioria) onde os partidos à esquerda do PS não têm possibilidade de eleger nenhum deputado.
--Aí, a única possibilidade efetiva de contribuir para a vitória da esquerda e para uma derrota da direita é mesmo votar no PS.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres