De Coligação vs Partido + votado, v.útil... a 25 de Setembro de 2015 às 11:25
(Vital Moreira, 23e24/9/2015, CausaNossa)

---- as aparências podem enganar:
se a Coligação PSD-CDS ganhar as eleições, isso quer dizer automaticamente que o PSD é o partido vencedor e tem direito a formar governo, mesmo que não seja o partido com mais deputados na AR?
NÃO.
--- sobre a irrelevância das coligações eleitorais para efeitos de formação de governos.
... 4. Na nossa democracia parlamentar quem forma os governos são os partidos representados no parlamento (artº22 da Lei eleitoral) e não as eventuais coligações eleitorais pretéritas.
Quando o Presidente da República tiver de iniciar a constituição de novo governo, os seus únicos interlocutores são os líderes dos partidos representados na AR e não alegados lideres de uma dissolvida coligação eleitoral (que aliás nunca teve uma liderança única, por não ter identidade própria).
Seria aliás politicamente inaceitável numa democracia representativa que um partido político valesse não pelo número de mandatos que tem no parlamento mas sim pelo número dos seus deputados... e dos de outro partido.
Um partido não pode "majorar" ou "aditivar" a sua representação parlamentar com os deputados de outro partido. Cada partido vale por si!

5. Em conclusão, o PSD só pode vir a formar governo e reconstituir uma eventual coligação de governo com o CDS (ou com outro partido!) se for o partido com mais mandatos populares
e não por ter tido mais votos (ou ter mais deputados) junto com outro.
É assim a democracia parlamentar!

--- ''O mal maior''

Para os eleitores de esquerda que têm reservas em relação ao PS (por "não ser suficientemente de esquerda"),
a questão a que têm de responder nas eleições consiste mais uma vez no seguinte:

-- é preferível votar no PS para vencer a direita e permitir um governo de esquerda, mesmo que moderada?

-- ou é preferível votar nas esquerdas à esquerda do PS para reforçar as forças de protesto, mas facilitando uma vitória da direita e a manutenção do atual Governo?

Para as pessoas que se consideram à esquerda do PS e que não estão vinculados a outros partidos,
um governo PS deveria ser preferível a um governo de direita, ou pelo menos um "mal menor" (basta ter em conta a construção do Estado social entre nós).
Mas a história das eleições mostra que há quem prefira o mal maior.

--Adenda
há ainda a questão do voto inútil nos círculos eleitorais (e são a maioria) onde os partidos à esquerda do PS não têm possibilidade de eleger nenhum deputado.
--Aí, a única possibilidade efetiva de contribuir para a vitória da esquerda e para uma derrota da direita é mesmo votar no PS.


De Manipulação nos Media, Desgoverno e Just a 25 de Setembro de 2015 às 12:21
--- ILUSIONISMO

Por causa do Novo Banco, o défice saltou para 7,2%. Depois de quatro anos a azucrinar os portugueses com alterações de décimas, Passos & Portas vêm agora dizer que «o défice de 7,2% é um mero registo contabilístico...»
Tudo é um registo contabilístico.
Foi portanto em nome desse registo que fecharam milhares de empresas, que foram DESTRUÍDOS mais de duzentos mil postos de trabalho,
que salários e pensões sofreram CORTES cegos, que as taxas moderadoras do SNS atingiram níveis incomportáveis para dois terços das famílias (não estou a contar com as que já estavam isentas),
que a emigração voltou ao patamar dos anos 1960, que a dívida aumentou, etc.
Tudo isto é uma fantochada!

---BATER NO FUNDO

Nunca uma CAMPANHA eleitoral foi MANIPULADA com tanto descaramento, os media a puxarem todos para o mesmo lado, a falácia das «tracking polls» ('sondagens' com amostra parcial renovada), o destrambelhamento de Portas, o mais que virá.
E ainda há quem tencione votar “alternativo”.

Depois não se queixem da ditadura fiscal (como só metade do país paga impostos, a outra metade marimba-se),
do desemprego, dos cortes em salários e pensões, do retrocesso de 40 anos nas condições do trabalho,
da precariedade dos recibos verdes, da subalternização de médicos e professores,
da emigração maciça de enfermeiros, das intermináveis listas de espera no Serviço Nacional de Saúde,
enfim, de tudo aquilo a que a retórica oficial, oficiosa e televisiva chama um país de sucesso.

---A CAMPANHA DA SONAE (e... e os media e jornalistas, comentadores facciosos e maioritários da Direita neoliberal e PaFiosa)

Percebo que muita gente julgue que uma sondagem é o mesmo que uma tracking poll.
Não é. Uma sondagem ilustra um resultado. Uma "TRACKING POLL" é um rastreio diário, “deslizante”, destinado a aferir tendências.
Vejamos a explicação do Público:
«[...] Assim, se no estudo agora divulgado foram considerados 753 entrevistados, na tracking poll de amanhã serão mil. A partir de então, serão retiradas 250 entrevistas e colocadas outras 250 num processo de actualização que pretende evitar a diluição da avaliação diária das intenções de voto, num processo sucessivo, mantendo, sempre, os mil entrevistados.»

O mais extraordinário é que o jornal compare duas coisas que NÃO são COMPARÁVEIS:
uma sondagem de Julho com a tracking poll de ontem. As datas são irrelevantes.
Não se pode é comparar o que não é comparável. A intenção é clara.

---- Juízes : Sócrates foi "vítima de truques" do investigador (Juíz, Min.Púb, PJ, .. media)

Excerto do acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa que, por unanimidade, mandou levantar o segredo de Justiça ao processo de Sócrates. Sublinhado meu:

«É pena que entre nós não exista a cultura de que uma acusação será mais forte e robusta juridicamente e sobretudo mais confiante consoante se dê uma completa e verdadeira possibilidade ao arguido de se defender.
Que não seja vítima dos truques e de uma estratégia do investigador.
O mesmo se diga do conhecimento cabal dos factos e das provas que lhe são imputados em sede de investigação,
não fazendo com que o segredo de justiça sirva de arma de arremesso ao serviço da ignorância e do desconhecido.
As virtudes e as razões do segredo de justiça
não podem ficar prisioneiros de uma estratégia que o transforme numa regra quando o legislador quis que fosse uma excepção.»

------
(por Eduardo Pitta, http://daliteratura.blogspot.pt/ 25 e .../9/2015 )


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres